IMES divulga cursos na FECIC

9 setembro, 2009

Por Andréa Alves e Florence Manoel

“FAFICA mudou. Agora é IMES Catanduva”

“FAFICA mudou. Agora é IMES Catanduva”

O IMES Catanduva estará presente a partir de hoje na 21ª FECIC – Feira Comercial e Industrial de Catanduva, que acontece de 9 a 13 de setembro, no Recinto de Exposições João Zancaner.

A instituição tem como objetivo, promover e divulgar os cursos, serão feitas inscrições gratuitas para o vestibular, que ocorrerá em 6 de dezembro de 2009. Professores e alunos do curso de comunicação estarão presentes panfletando e esclarecendo as dúvidas dos interessados.

Os visitantes poderão procurar o Box 35, onde haverá uma exposição de vídeos e fotos do IMES Catanduva e a distribuição de brindes.

Este ano a FECIC terá como atrações:

09 – Jorge e Matheus

10 – Roupa Nova

11 – Paralamas do Sucesso

12 – Chitãozinho & Xororó e Fresno

13- Latino

Anúncios

Primeira Edição do Primeira Edição no Issuu

30 junho, 2009

As alunas do 2º ano de Jornalismo do IMES Catanduva lançaram no último dia 23 a revista online Primeira Edição no site ISSUU.

Para conferir  CLIQUE AQUI!

Florence Manoel, Nágila Câmara, Andréa Alves e Isabeli Baruffaldi

Florence Manoel, Nágila Câmara, Andréa Alves e Isabeli Baruffaldi

Juntas por um mesmo ideal… todas Jornalista segundo o STF… mas lutando pelo diploma que nos parece a forma mais digna de encarar a profissão!

Homenagem a Michael Jackson

27 junho, 2009

Comerciais de Michael Jackson.

E para fechar a homenagem, o lendário clipe da musica Thriller.


Por que ainda estudar Jornalismo?

11 junho, 2009

A sociedade digital cresce a cada dia, a colaboratividade ganha espaços inimagináveis e a obrigatoriedade do diploma vira uma novela na justiça. Em meio a esse mutirão de mudanças em torno do jornalismo, muitos jovens que sonham em ter esta profissão ficam em dúvida se vale ou não a pena encarar uma universidade.

Alexandra Rampy, uma entusiasta desta importante área do conhecimento, criou uma lista com 40 motivos para estudar jornalismo. O objetivo da carta é “encorajar os estudantes e espalhar esperança”. Confira um resumo dos itens mais interessantes traduzidos e adaptados por mim (e pelo Google):

1. A sociedade precisa do jornalismo para destacar a voz do povo e proteger a sua liberdade.
2. A sociedade precisa do jornalismo para atuar como um serviço público.
3. A sociedade precisa de jornalistas que podem ser malabaristas, que são multi-facetados, rápidos, curiosos, criativos e comoventes.
4. A sociedade precisa de um jornalismo de espírito, de humanidade, de e para o mundo de hoje.
5. O jornalista de hoje nasceu e cresceu com a tecnologia. Ele se preocupa com seus amigos e suas comunidades. A sociedade precisa das suas ideias, suas perspectivas e sua vontade de adaptar, mudar e evoluir.
6. O jornalismo ensina a ser um bom escritor.
7. O jornalismo fornece uma base sólida para saber o que dizer, como dizer e por que você está dizendo isso.
8. O jornalismo ensina a defender sua postura, a sua escrita e seu personagem.
9. O jornalismo ensina ética. As informações que você transmite afetam pessoas reais e problemas reais, logo, necessitam de tratamento especial de juízo.
10. O jornalismo ensina a aprender constantemente.
11. O jornalismo ensina a fazer perguntas, inclusive as duras.
12. O jornalismo ensina a olhar para as questões em múltiplas perspectivas.
13. O jornalismo ensina a ser um bom “NetWorker”, ou seja, um bom construtor de relacionamentos.
14. O jornalismo ensina a ser um bom investigador, visto que você deve verificar fato a fato e verificar novamente.
15. O jornalismo ensina a ter confiança. Para ter sucesso nessa área, você tem que estar confiante em sua pesquisa, palavras e ações.
16. O jornalismo dá plataforma para atender uma variada quantidade de pessoas, estudar diversos assuntos e, se quiser, até mesmo viagens a diversos países.
17. O jornalismo ensina a ser interessante, a saber conversar e a criar uma posição.
18. As pessoas estão com medo do jornalismo acabar e as organizações estão adotando princípios em seu trabalho jornalístico para mudar a estratégia. É um momento emocionante para começar.
19. O jornalista possibilita você explorar a sua criatividade: escrever, fotografar, dirigir, filmar, diagramar, produzir, entre outros.
20. Há muitas histórias que necessitam ainda ser contadas.
21. O jornalismo deixa você na história. Você pode dizer que estava lá.
22. Você vai conhecer pessoas de todos os setores da vida, experiências diversas e um longo espaço de paixões. É inspirador e motivador.
23. O jornalismo dá-lhe um pretexto para falar com alguém que conheça, que goste ou um assunto que seja interessante para você.
24. As pessoas vão criticar o seu trabalho e você aprende a ser corajoso e maduro para aceitar isso. Ele faz você ser uma pessoa melhor.
25. A notícia que você escrever pode chegar a mais pessoas do que você imagina.
26. Você pode ser você.
27. Você vai tornar mais fácil para as pessoas as milhares de informações disponíveis no mundo.
28. Você saberá como mediar uma conversa.
29. Você vai aprender a ser multi-tarefa: o telefone está tocando com um novo chumbo quente; o prazo para a entrega da matéria é de duas horas; você ainda precisa verificar os fatos; acompanhar alguns e-mails; e ainda tem uma reunião de dez minutos.
30. Você pode fazer a diferença. Clichê? Talvez. Mas você pode. Dependendo de seus interesses e paixões, você pode fazer uma diferença enorme na sociedade.
31. Você nunca vai viver da rotina. O jornalismo muda todos os dias e isto é ainda mais verdadeiro hoje do que nunca. O campo está em constante evolução.

:: Clique aqui e leia a lista na íntegra (em inglês)

Fonte: Diário de um Repórter (copiado e colado na íntegra… existem coisas que não há como mudar!)


Orange entre aliens, gladiadores e vampiros

5 junho, 2009

A Orange, empresa franco-britânica de telefonia celular filial da France Télécom, lançou três comerciais ilários para divulgar seu serviço de televisão fechada, que conta com programação exclusiva, várias opções de filmes, pausa na programação e um acervo gigante de filmes lendários.

Para isso, a Publicis Conseil na criação, juntamente com a Wanda Productions na produção, elaboraram uma super campanha mostrando os maiores ícones cinematográficos  esperando para entrar em cena, aguardando no quintal ou até mesmo dentro de sua casa.

Engraçadíssimo, né? E não é impressão sua não. Ele realmente lembra o comercial da Sky aqui.


Garota, escolha já seu Nerd!

4 junho, 2009

Para quem não assistiu no último domingo no Faustão, delicie-se com a letra dessa música e todo o ritmo de Os Seminovos.

Letra

O nerd de hoje é o cara rico de amanhã
O nerd de hoje é o cara lindo de amanhã
O nerd de hoje é o bom marido de amanhã
Garota, escolha já seu nerd!

Enquanto o bonitão está pegando você
O nerd está criando um software no PC
Enquanto o sarado malha na academia
O nerd está lendo as notícias do dia

Enquanto o bonitão tá na balada te chifrando
O nerd com certeza está em casa estudando
O curso superior do gostosão tá no início
E o nerd ganha em dólar no Vale do Silício

O nerd de hoje é o cara rico de amanhã
O nerd de hoje é o cara lindo de amanhã
O nerd de hoje é o bom marido de amanhã
Garota, escolha já seu nerd!

O nerd tem conserto, é só você ensinar
O penteado certo e a melhor roupa pra se usar
O saradão de hoje é o gordo de amanhã…
Parou de tomar bomba? Vai ter que usar sutiã!

O gostosão ainda sai no carro do pai
E o nerd é a atração de um workshop em Dubai
O gostosão te esquece quando vê um carro esporte
E o nerd está lá dentro com uma mulher de sorte

O nerd de hoje é o cara rico de amanhã
O nerd de hoje é o cara lindo de amanhã
O nerd de hoje é o bom marido de amanhã
Garota, escolha já seu nerd!

Imagine o nerd sem cabelo ensebado
Sem espinhas e sem colarinho abotoado
Sem o cinto social junto com tênis branco
Imagine o nerd com cinco milhões no banco!

(Letra e música: Maurício Ricardo. Arranjos e produção: Neto Castanheira)

Os Seminovos são: Neto Fog (voz), Maurício Ricardo (baixo, voz), Neto Castanheira (guitarras, produção), Tchana (guitarra base, voz), Alex Mororó (bateria).

E se quiser pode baixar a versão MP3 ‘di grátis’ para isso basta CLICAR AQUI.


O pior anúncio da temporada

4 junho, 2009

A propaganda é uma atividade solidária. Quando acertamos a mão, todos acertam. Acertam os publicitários envolvidos no processo de produção e veiculação do anúncio, acertam os executivos responsáveis pelo briefing, aprovação e orçamento do trabalho. Todos são vitoriosos e merecedores de crédito.

Quando o trabalho é ruim, todos são culpados. Culpados os publicitários que, por dever de ofício, devem alertar o anunciante para os erros que está incorrendo ao usar seu poder para impor determinados caminhos criativos, culpada a empresa anunciante que, prepotente, se considera imune à precariedade das suas idéias. Pois todos estão condenados.

O anúncio da AMIL é indescritível. Por mais que eu me esforce não conseguiria reproduzir a sucessão de horrores que desfilam na telinha da televisão. Um ator inexpressivo, um cenário incompreensível, uma trilha ridícula e um texto… bem o texto é digno de uma redação de primário.

É impossível entender o que os envolvidos na empreitada pretendiam com o anúncio, além de jogar pela lata do lixo o dinheiro da empresa. Me passou a idéia que, por se tratar de uma empresa de planos de saúde, o objetivo seria submeter o telespectador a uma síncope de qualquer ordem e, dessa forma, fazê-lo optar pelo serviço da AMIL.

Nessas situações sempre me pergunto: Se eles tratam a comunicação dessa forma, como tratarão o negócio deles, que é a nossa saúde? Melhor não arriscar.

Há muito acompanho a estratégia de comunicação (ou falta dela) desse anunciante que insiste em manter uma agência de propaganda dentro da sua estrutura funcional, uma house agency ou “agência da casa”, uma distorção do nosso mercado apoiada na economia burra de recursos destinados à propaganda. Uma agência interna economizaria os honorários a serem pagos para os prestadores de serviços, além de manter sob controle a comunicação.

Pois não acontece nem uma coisa, nem outra. Não há economia, nem há controle. O que costumamos presenciar nessas estruturas são publicitários atormentados por idéias impostas por seus patrões que, invariavelmente, duvidam da competência de seus empregados. Os resultados são anúncios como o da AMIL, o pior anúncio da temporada e um dos mais grosseiros exemplos da anti-publicidade.

 

fonte: Bloganda