O pior anúncio da temporada

4 junho, 2009

A propaganda é uma atividade solidária. Quando acertamos a mão, todos acertam. Acertam os publicitários envolvidos no processo de produção e veiculação do anúncio, acertam os executivos responsáveis pelo briefing, aprovação e orçamento do trabalho. Todos são vitoriosos e merecedores de crédito.

Quando o trabalho é ruim, todos são culpados. Culpados os publicitários que, por dever de ofício, devem alertar o anunciante para os erros que está incorrendo ao usar seu poder para impor determinados caminhos criativos, culpada a empresa anunciante que, prepotente, se considera imune à precariedade das suas idéias. Pois todos estão condenados.

O anúncio da AMIL é indescritível. Por mais que eu me esforce não conseguiria reproduzir a sucessão de horrores que desfilam na telinha da televisão. Um ator inexpressivo, um cenário incompreensível, uma trilha ridícula e um texto… bem o texto é digno de uma redação de primário.

É impossível entender o que os envolvidos na empreitada pretendiam com o anúncio, além de jogar pela lata do lixo o dinheiro da empresa. Me passou a idéia que, por se tratar de uma empresa de planos de saúde, o objetivo seria submeter o telespectador a uma síncope de qualquer ordem e, dessa forma, fazê-lo optar pelo serviço da AMIL.

Nessas situações sempre me pergunto: Se eles tratam a comunicação dessa forma, como tratarão o negócio deles, que é a nossa saúde? Melhor não arriscar.

Há muito acompanho a estratégia de comunicação (ou falta dela) desse anunciante que insiste em manter uma agência de propaganda dentro da sua estrutura funcional, uma house agency ou “agência da casa”, uma distorção do nosso mercado apoiada na economia burra de recursos destinados à propaganda. Uma agência interna economizaria os honorários a serem pagos para os prestadores de serviços, além de manter sob controle a comunicação.

Pois não acontece nem uma coisa, nem outra. Não há economia, nem há controle. O que costumamos presenciar nessas estruturas são publicitários atormentados por idéias impostas por seus patrões que, invariavelmente, duvidam da competência de seus empregados. Os resultados são anúncios como o da AMIL, o pior anúncio da temporada e um dos mais grosseiros exemplos da anti-publicidade.

 

fonte: Bloganda

Anúncios

Acqua Bank

3 junho, 2009

Vocês devem ter sido impactados por alguma comunicação falando sobre o Acquabank:

O AcquaBank, na verdade, é um projeto para o cliente Eletronuclear que alerta a as pessoas sobre a necessidade do consumo consciente da água, afinal de contas, se o homem continuar fazendo seu papel, poluindo e desperdiçando, é bem provável que uma instituição como essa venha a existir.

Achei legal a iniciativa e tudo o que for válido pra preservar o planeta, acho que merece uma divulgação! Não deixem de visitar – AcquaBank


Maiores Anunciantes em Web – Balanço 2008

3 junho, 2009

Bradesco é o maior anunciante em internet, de acordo com pesquisa divulgada pelo Ibope Nielsen Online.

O banco investiu R$ 221 milhões em 2008, respondendo por 13,9% do total do valor em web no ano passado.

As 10 empresas que mais apostaram no meio on-line em 2008 representam 46% do total investido em internet. Percebam, 10 empresas investem quase 50% do montante total em internet… e se pegarmos o montante total investido em Publicidade em 2008, podemos ver que a porcentagem do investimento em internet é muito pequena se comparado com as mídias tradicionais (TV, rádio, impresso, etc).

Ok, pela internet conseguimos mensurar praticamente tudo, o retorno sobre o investimento, custo por lead, etc. Por que esse investimento não é maior?

Confira abaixo o ranking de investimentos na web em 2008:

Bradesco – R$ 221.628.000 – 13,9%
Itaú – R$ 100.862.000 – 6,3%
Ford – R$ 72.368.000 – 4,5%
Samsung – R$ 59.915.000 – 3,8%
Fiat – R$ 58.869.000 – 3,7%
Unilever – R$ 54.263.000 – 3,4%
Coca-Cola – R$ 51.043.000 – 3,2%
Sky – R$ 43.667.000 – 2,7%
Volkswagen – R$ 38.306.000 – 2,4%
10º Brasil Telecom – R$ 37.451.000 – 2,3%
Outros do Ranking – R$ 856.077 – 53,7%
Total – 1.594.449.000


Esqueça e-mail, agora é Wave !

3 junho, 2009

Se você quiser saber qual a próxima revolução, depois do e-mail e do google, assista este vídeo sobre o Google Wave.

Infelizmente está em inglês, mas mesmo assim é possível entender o que acontece só vendo as demonstrações ao vivo.
Em resumo, o Google Wave é uma nova maneira de se comunicar pela Internet.
Ao invés de usar um e-mail, você usará uma “wave”. Eis algumas características desse sistema:
1. Enquanto você escreve sua wave, todos vêem as letras que você digita, como era no antigo ICQ (você pode desligar esse recurso tbem).
2. O texto que você coloca numa wave pode ser modificado por outras pessoas. E você saberá o que ela mudou, apagou ou adicionou na mensagem.
3. Você pode usar uma wave pra atualizar um blog. E os comentários que as pessoas fizerem no seu blog, aparecem entro da mensagem wave também.
4. Você pode incluir fotos na wave. Você pode compartilhar essa wave com outros usuários que também podem colocar mais fotos dentro dela.
5. Você pode ter várias pessoas digitando AO MESMO TEMPO dentro da wave, em tempo real, como se houvessem vários teclados digitando na mesma hora.
6. Você pode conversar com pessoas que falam chinês, francês, alemão, e o sistema traduz pro português, EM TEMPO REAL.
7. Você pode adicionar mapas do google dentro da wave, e enquanto vc faz zoom no mapa ou faz anotações nele, todos os participantes vêem isso em TEMPO REAL.
8. Você pode fazer pesquisas de opinião com seus amigos, dentro da wave, e saber as respostas à pesquisa ao mesmo tempo em que as pessoas respondem.
9. Você pode publicar suas mensagens numa “twave” que é uma wave para twitter.
10. Você pode organizar várias waves numa só.
11. Você pode embutir vídeos na mensagem wave.
12. Você pode escrever uma wave no celular, iPhone, blackberry, e seus amigos podem ver o conteúdo em tempo real.
13. Você pode escrever um texto numa wave e programas como Indesign, Illustrator, Word, Corel, vão poder atualizar um layout usando esse texto, em TEMPO REAL.
Esqueça o e-mail. Uma nova revolução está a caminho.

fonte: Espaço|design


Massagista

1 junho, 2009
A BorghiErh/Lowe criou para o UOL um filme para divulgar o Emprego Certo, página que oferece mais de 150 mil opções de empregos.
“Massagista” (assista aqui), que está sendo veiculado na internet, mostra o depoimento de um massagista de modelos sobre a rotina “estressante” do seu trabalho.  
Em uma semana na web, o filme já conta com mais de 500 mil views no YouTube e foi viralizado. 
O filme em breve chegará também aos cinemas e TV.
FICHA TÉCNICA: 
Título: Massagista
Agência: BorghiErh/Lowe
Produto: Emprego Certo
Cliente: UOL
Produtora: Sagaz Filmes
Direção: Cláudio Cinelli
Direção de Fotografia: Scalante
Cenografia: Iliana Grinstein
Computação Gráfica: Christian Luis
Montador: Cláudio Cinelli
Trilha: Comando S
Maestro: Serginho Rezende e Marcelo Cyro
Locução: Serginho Rezende
Pós-produção: Sagaz Filmes
Criação: José Henrique Borghi, Kiko Mattoso e Fabio Nunes
Direção de Criação: José Henrique Borghi, Erh Ray e Edgard Gianesi
Direção RTVC: Márcia Coelho
Produção RTVC: Márcia Coelho e Elisa Pamplona
Atendimento: Priscilla Carvalho e Daniela Biazoto
Aprovação / Cliente: André Vasconcellos e Pupo Neto

A BorghiErh/Lowe criou para o UOL um filme para divulgar o Emprego Certo, página que oferece mais de 150 mil opções de empregos.
“Massagista”, que está sendo veiculado na internet, mostra o depoimento de um massagista de modelos sobre a rotina “estressante” do seu trabalho.  
Em uma semana na web, o filme já conta com mais de 500 mil views no YouTube e foi viralizado. 
O filme em breve chegará também aos cinemas e TV.

FICHA TÉCNICA: 

Título: Massagista
Agência: BorghiErh/Lowe
Produto: Emprego Certo
Cliente: UOL
Produtora: Sagaz Filmes
Direção: Cláudio Cinelli
Direção de Fotografia: Scalante
Cenografia: Iliana Grinstein
Computação Gráfica: Christian Luis
Montador: Cláudio Cinelli
Trilha: Comando S
Maestro: Serginho Rezende e Marcelo Cyro
Locução: Serginho Rezende
Pós-produção: Sagaz Filmes
Criação: José Henrique Borghi, Kiko Mattoso e Fabio Nunes
Direção de Criação: José Henrique Borghi, Erh Ray e Edgard Gianesi
Direção RTVC: Márcia Coelho
Produção RTVC: Márcia Coelho e Elisa Pamplona
Atendimento: Priscilla Carvalho e Daniela Biazoto
Aprovação / Cliente: André Vasconcellos e Pupo Neto
Fonte: CCSP.com.br


Conheça pessoas que enxergam Propaganda em tudo

28 maio, 2009

Nesta sexta-feira (29) acontecerá no auditório do Senac Catanduva o lançamento das agências do PREX – Projeto Experimental realizado como trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social.
O PREX tem o objetivo de colocar em prática os conhecimentos obtidos pelos alunos no decorrer do curso, aplicando em clientes reais escolhidos pelos próprios grupos que são Babel Comunicação, Magenta Comunicação e Apoena Comunicação.  O evento será aberto e terá inicio as 19:30.

Sites das agências
Apoena – Prontos para a guerra

Babel Comunicação

Magenta Comunicação


Dafra, você por cima da…

25 maio, 2009

Como a gente volta e meia avisa por aqui, nem tudo são flores no mundo das mídias sociais. O Ideavertising trouxe pra gente mais um exemplo desse “efeito reverso” que a internet pode proporcionar.

Algum cliente insatisfeito não aguentou mais sofrer com a marca e desabafou fazendo uma criativa dublagem soltando o verbo contra a Dafra Motos. É um vídeo paródia em cima do grandioso comercial da campanha que traz Wagner Moura como garoto propaganda da marca. O linguajar utilizado pelo dublador não é lá dos mais adequados, mas como aqui não tem muita frescura segue o vídeo para avaliação:

Percebe-se que está cada vez menor o espaço para erros de uma marca com o consumidor. Com o fácil acesso não só à internet, mas também à ferramentas para simples edição de áudio e vídeo, cada vez fica mais fácil o consumidor criar seu próprio conteúdo para se expressar.

Aí acontece tudo do mesmo jeito: você olha, acha legal, fala para um amigo, manda pro seu twitter, pro orkut, republica em outros sites de vídeos, faz post no seu blog, manda por email e por aí vai.

A Dafra até tirou do ar o primeiro vídeo publicado, mas é praticamente impossível disputar com a velocidade e milhões de pessoas online.

A solução nesse caso? Antes de entrar com uma comunicação que prometa mais do que pode cumprir, pense que há milhares de pessoas prontas para viralizar sua marca. Para o bem e para o mal.